Processo de Onboarding: saiba como essa estratégia melhora o desempenho de novos colaboradores

5 minutos para ler

Começar a trabalhar em uma empresa nova causa sempre um misto de emoções, ainda que o profissional já tenha passado por outras experiências. Por isso, estruturar um bom processo de onboarding na sua organização faz toda a diferença para que os novos integrantes se sintam bem recebidos e motivados para iniciar essa nova etapa.

Geralmente, o onboarding é feito pelo time de gestão de pessoas em conjunto com o líder da área em que os novos colaboradores vão entrar. Esse processo busca apresentar toda a estrutura da empresa e suas funções, para que ele se familiarize com o ambiente e conheça os novos colegas de equipe.

Além disso, nesse período de integração, o profissional recebe todos os treinamentos e capacitações necessários para poder iniciar as atividades do cargo que ocupará.

Por que o onboarding é importante?

Você já conheceu alguns benefícios deste processo acima, mas agora é hora de entender como ele beneficia a organização e suas equipes a longo prazo.

A verdade é que, quando bem estruturado, o onboarding colabora para o sucesso da empresa em pelo menos cinco aspectos:

1 – Engajamento dos profissionais

O onboarding é fundamental para que o colaborador se sinta animado para executar sua função.

Uma vez que ele está entusiasmado com o novo desafio, automaticamente passa a engajar mais com a empresa e todas as ações promovidas dentro dela.

2 – Alinhamento com as propostas

Assim como dito anteriormente, esse período de recepção do novo funcionário é importante para que ele entenda como funciona a estrutura da organização.

Uma vez que ele é instruído sobre como evitar erros comuns e desempenhar suas atividades de maneira mais eficiente, passa a estar alinhado com todo o time.

3 – Crescimento do negócio

Um profissional engajado e alinhado com as propostas e a cultura da empresa se torna mais produtivo e motivado a alcançar os resultados esperados.

Consequentemente, eles se tornam cada vez mais rentáveis e colaboram muito para o crescimento do negócio.

4 – Redução do turnover

Quando um colaborador é bem recebido no seu novo trabalho, ele se sente mais pertencente e cria um vínculo com a organização desde o início.

Isso significa que um bom processo de onboarding também colabora para a diminuição dos índices de rotatividade pessoal em uma empresa.

5 – Retenção de talentos

Um dos principais objetivos de todo negócio é recrutar e reter os melhores talentos do mercado.

Ainda que o salário e o pacote de benefícios ofertados sejam atrativos, o profissional só construirá uma base sólida na organização se houver uma boa relação com a gestão e o alinhamento com a cultura organizacional.

Por isso o onboarding se torna ainda mais importante.

Os quatro pilares do onboarding

Um estudo realizado pela Society for Human Resource Management (SHRM) afirma que profissionais recém-contratados levam, em média, três meses para se “provarem” em um novo cargo.

Isso porque os noventa dias iniciais são fundamentais para que ele desenvolva os conhecimentos, comportamentos e habilidades necessárias para desempenhar suas tarefas.

Dessa forma, o estudo diz que um processo de onboarding eficiente deve conter quatro pilares, também conhecidos como “Os quatro C’s”. São eles:

  • Conexão: desenvolvimento de relações interpessoais, essenciais para novos colaboradores;
  • Conformidade: apresentação dos processos internos, do código de ética e das regras;
  • Cultura: trazer ao profissional um senso claro sobre as normas formais e informais da empresa;
  • Clarificação: treinamentos e esclarecimentos sobre as funções que ele exercerá, assim como as expectativas da organização em relação a resultados.

Como estruturar um processo de onboarding para novos colaboradores?

Agora que você já conhece mais sobre o processo e a importância que ele tem para o crescimento dos colaboradores e da empresa, é hora de aprender a estruturá-lo e tornar o onboarding do seu negócio um diferencial.

Em primeiro lugar, pense em uma estratégia dividida por quatro etapas: antes do início do novo funcionário, no primeiro dia, no primeiro mês e ao longo de três meses.

Antes de iniciar

Considere que o onboarding começa antes mesmo do primeiro dia do colaborador. Por isso, invista em um kit de boas-vindas, disponibilize materiais sobre a cultura da empresa e convide-o para conhecer o ambiente de trabalho.

O primeiro dia

Já no primeiro dia, é importante que ele conheça todas as áreas, seja apresentado aos líderes e reveja suas responsabilidades como parte de um time.

O primeiro mês

No primeiro mês, organize a rotina do profissional de forma que ele consiga realizar todos os treinamentos e capacitações necessários para desempenhar suas atividades. Ainda, garanta que toda a fase de adaptação seja acompanhada pelo gestor.

Os primeiros três meses

Por fim, ao longo de três meses, é preciso se certificar de que ele está sendo integrado ao restante da equipe e que receba feedbacks sobre o trabalho que vem realizando. Da mesma forma, dar espaço para que o colaborador se manifeste sobre a rotina de trabalho também fará a diferença na sua atuação dali em diante.

Não se esqueça de que todo o processo de onboarding deve ser desenvolvido conforme a cultura organizacional da empresa, e com estratégias que visem estimular ao máximo o potencial dos novos profissionais.

Por mais trabalhoso que pareça ser, ele é essencial para garantir que as equipes se sintam confortáveis no ambiente de trabalho e deem o seu melhor para alcançar os resultados esperados pela organização.

Compartilhe esse artigo:
Posts relacionados