Mobilidade Interna de talentos

5 minutos para ler

Muito se tem discutido dentro das empresas sobre as ações necessárias para reter cada vez mais talentos e tornar os colaboradores engajados. O que muitas organizações não sabem é que essas estratégias vão além de salários inflacionados ou outros bônus, e que a mobilidade interna é a chave para manter uma força de trabalho consistente.

É óbvio que uma boa remuneração chama a atenção e faz a diferença, mas atualmente as oportunidades de progressão na carreira também vem sendo muito levadas em consideração na escolha dos bons profissionais por um cargo.

Uma vez que o colaborador sabe que tem a possibilidade de não só aprender e crescer na posição em que ocupa, mas de construir uma carreira interna dentro da empresa em que trabalha, ele se sente mais valorizado e determinado a dar o seu melhor.

Priorizar os atuais funcionários na hora de preencher vagas futuras também é mais econômico, porque nem sempre sua companhia conseguirá arcar com os custos de recrutar um novo talento.

Além disso, o recrutamento interno não somente aumenta a retenção dos funcionários, mas acelera todo o processo de contratação e a produtividade do colaborador no novo cargo.

Pare para pensar: Vale a pena desembolsar um valor alto para conseguir reter novos bons profissionais ou é mais vantajoso investir no desenvolvimento dos talentos em potencial que a sua empresa já possui?

5 dicas para criar uma cultura de mobilidade interna na sua empresa

Implementar a cultura de mobilidade interna em uma organização demanda a execução de políticas e processos que garantam que os candidatos internos terão prioridade na tentativa de preencher uma vaga, antes que ela abra para um processo seletivo externo.

A seguir, confira mais dicas de como a mobilidade interna pode ser trabalhada na sua empresa:

Converse sobre desenvolvimento de carreira

Dedique tempo ao seu time, descubra quais habilidades eles possuem, o que eles realmente gostariam de fazer, quais são suas ambições futuras e do que eles precisam para ocupar essas posições.

Fale sobre desenvolvimento de carreira, mantenha o diálogo constante sobre esse assunto e mostre que eles podem se candidatar a oportunidades internas.

Ofereça oportunidades de aprendizagem

Para migrar para uma nova posição e exercê-la com excelência, um profissional precisará aprimorar algumas habilidades que já possui e desenvolver outras. 

Ofereça treinamentos e outros meios de aprendizagem que permitam aos seus funcionários estarem em constante desenvolvimento. Isso os motivará a tentar as futuras oportunidades internas que surgirem na corporação.

Reduza a burocracia

Geralmente, as empresas costumam ter muitas burocracias na hora de preencher uma vaga, e isso pode dificultar que candidatos internos se apliquem para a função. Muitas vezes não porque eles não possuem as qualificações exigidas, mas porque acreditam que ocupar essa nova posição poderá custar um preço político.

Para combater isso, algumas organizações têm adotado o chamado “ecossistema de talentos”. Elas se aproximam de profissionais em potencial e os colocam para executar projetos baseados em suas habilidades, desconsiderando proximidade ou hierarquia.

Assim, é possível catalogar as habilidades e capacidades da força de trabalho e preencher as vagas por dentro. Um ecossistema de talentos ativo permite aos gerentes descobrir os potenciais existentes na empresa e reduz o estigma dos funcionários se candidatarem a funções abertas internamente.

Fique confortável com a mudança

Empresas de alto rendimento enxergam nos processos de mudança oportunidades de aumentar a produtividade de seus colaboradores.

Uma cultura de mobilidade interna tende a criar um ambiente de mudança saudável e ágil para lidar com os imprevistos.

Meça o impacto no engajamento da mobilidade interna

Para além da cultura de mobilidade interna, você deve ter ferramentas que permitam acompanhar o sucesso desse método. Bem como os times da sua organização estão reagindo a ele.

Muitas das grandes empresas possuem painéis que detalham as atividades da mobilidade interna e mostram o desempenho dos colaboradores e como eles estão se desenvolvendo.

Conclusão sobre mobilidade interna de talentos

A busca por talentos externos não acabará, porque uma corporação dificilmente possui um número de trabalhadores que consigam preencher todas as oportunidades disponíveis.

Contudo, é notório que priorizar a retenção de talentos internos pode fazer toda a diferença no desempenho da empresa, demonstrando lealdade ao serviço prestado pelos atuais profissionais e colaborando para o engajamento dos mesmos. 

Ao mesmo tempo, isso pode tornar a empresa ainda mais atrativa para os talentos externos e contribuir para o sucesso de processos seletivos futuros.

Que tal implementar a mobilidade interna no seu negócio?

Compartilhe esse artigo:
Posts relacionados